Vamos tomar as escolas antes que o governo tome elas da gente!

A proposta de reestruturação do ensino que o governo apresentou à Assembleia Legislativa tá revoltando muita gente, e não é à toa: a ideia é que cada escola atenda um ciclo (Fund I, II ou Ensino Médio). Isso vai fazer com que a demanda se concentre em algumas escolas, o que vai permitir que o Estado feche centenas de colégios. Além disso, os alunos terão que estudar mais longe de suas casas, milhares de professores e funcionários serão demitidos e os pais vão ter que se virar pra deixar os filhos em escolas diferentes. A previsão é que 1 milhão de alunos sejam transferidos pra outras escolas! Enfim, vai bagunçar completamente a vida de todo mundo.
Mas não demorou muito e pais, alunos e professores já começaram a se mobilizar. Todos os dias dezenas de protestos têm acontecido no Estado, alguns com mais de mil pessoas! Terça-feira, dia 6/10, um ato convocado por algumas alunas reuniu mais de 700 estudantes, travando principais avenidas do centro da cidade. E já está marcado o próximo ato: sexta-feira, dia 9/10, às 8h no MASP. O caminho tem que ser esse mesmo: coordenar cada vez mais as ações dos estudantes para derrotar a reorganização que o governo quer impor!
1. Coordenar as ações dos estudantes
É preciso evitar a dispersão da luta. De que adianta vários abaixo-assinados e protestos separados entre as várias escolas? Essa luta não é só de uma ou outra escola, mas de todas. Por isso devemos fazer assembleias ou reuniões regionais e realizar ações coordenadas entre todas as escolas: fazer uma manifestação (ou várias manifestações no mesmo dia), um mesmo abaixo-assinado, levantar as mesmas reivindicações. Isso potencializa o impacto do nosso movimento e faz com que sejamos um só perante o Estado.
2. Não confiar nas entidades estudantis
As entidades que deveriam representar os estudantes (UMES, UPES, UBES, UNE) há anos que não lutam mais para nos defender. Todas elas estão aparelhadas pelos partidos da base do governo e só estão preocupadas em ganhar dinheiro com a venda das suas carteirinhas estudantis; para defender seus interesses, não vão perder tempo em nos trair na primeira oportunidade. No começo do ano, por exemplo, elas se reuniram com a prefeitura para negociar a substituição de todos os Bilhetes de Estudante pelas carteirinhas deles, em troca eles deixaram de apoiar as manifestações contra o aumento das passagens. Para que não sejamos enganados de novo, devemos organizar o nosso movimento com independência, chamando nossos próprios atos, escolhendo nossos próprios representantes e não permitindo que eles nos representem.
3. Ocupar as escolas
Várias escolas estão ameaçadas de serem fechadas ou entregues à Prefeitura. Um jeito de impedir que isso aconteça seria ocupar as escolas, ou seja, que os estudantes se organizem para acampar nas escolas dia e noite, e assim impedir que qualquer documento ou material (mesas, cadeiras) sejam retirados do prédio. Essa tática de luta é muito usada em países vizinhos, como Chile e Argentina, onde os estudantes passam semanas ou até meses acampados dentro das escolas como forma de protesto. No Brasil isso chegou a acontecer em 2012, no Mato Grosso do Sul, onde os alunos de uma escola que estava para ser municipalizada tomaram o prédio e garantiram que o colégio continuasse a ser administrado pelo Estado. Pode parecer muito complicado, mas basta que em cada escola os estudantes se organizem!  E se já mostramos que somos capazes de sacudir todo o Estado de São Paulo em uma semana de mobilizações, quer dizer que organizados poderemos fazer muito mais! *
4. Só os estudantes podem derrotar o governo
Precisamos que todos participem dessa luta. Pais, professores, funcionários e todos os trabalhadores devem apoiar os estudantes. Mas só os estudantes tem força para derrotar o governo. Isso não quer dizer que possamos vencer sozinhos, mas que somos a força decisiva nessa batalha. Por isso não podemos fazer só o que o sindicato dos professores planejou, precisamos ir além disso e tomar as rédeas da luta, organizando ações mais radicais e criativas. Só com ousadia e união dos estudantes de todas as escolas conseguiremos fazer o governo tremer e recuar!
https://i0.wp.com/www.theclinic.cl/wp-content/uploads/2011/07/Colegio-En-Toma-1.jpgNENHUM PASSO ATRÁS! ATÉ A VITÓRIA!
AS ESCOLAS SÃO NOSSAS: SE O GOVERNO QUER FECHAR, VAMOS OCUPAR!
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s